Arquivos da categoria: Notícias

Debate sobre Cinema e Ciências Sociais

Terça, 11 de junho, o diretor Emílio Domingos participará do ‘Ciclo de Debates – O mercado de trabalho para o cientista social no Brasil’ como parte da aula Cinema e Ciências Sociais, na Faculdade Getúlio Vargas – FGV junto a Luisa Santana e Lucas Pípolos, graduandos em Ciências Sociais pela UFF – Universidade Federal Fluminense e funcionários do Núcleo de Audiovisual e Documentário da FGV/CPDOC.

O debate está marcado para 11h e será ABERTO AO PÚBLICO.

Saiba mais aqui.

PRÓXIMA SESSÃO DO DOCUMENTA-SE CINECLUBE

Convite_v2

Sinopse: A vida de uma mulher, desde seu nascimento até sua morte. O personagem foi vivido por diferentes pessoas, de diferentes idades, em diferentes regiões do país, a partir de registros da vida, dos acontecimentos que são comuns a todos os humanos. O mistério do nascimento, as celebrações de nossa cultura, o crescimento e degeneração do corpo, a morte e as questões que envolvem herança de conhecimento.​

PROGRAMAÇÃO
18h | Início da sessão
19h45min – 20h30 | Debate

DEBATEDORES
Convidados: Dany Roland (diretor do filme) e Clarice Saliby
Debatedor residente: Simplicio Neto
Mediador: Emílio Domingos

Data: terça, 2 de abril
Horário: 18h – 20h30
Local: MIS Praca XV – Praça Luiz Souza Dantas, 01

Entrada gratuita!

Saiba mais clicando aqui.

PRÓXIMA SESSÃO DO DOCUMENTA-SE CINECLUBE

No próximo Documenta-Se Cineclube veremos “Kuduro – Fogo No Museke” (2007), dirigido por de Jorge António.

MV5BMjE1ODQ0OTM0OV5BMl5BanBnXkFtZTcwMzk0OTU5NQ@@._V1_SY1000_CR0,0,701,1000_AL_

Desde a sua independência em 1975, nunca Angola tinha assistido a um movimento cultural tão dinâmico e polêmico como o kuduro. Nenhum outro gênero musical ultrapassou tão rapidamente as fronteiras para se tornar um fenômeno internacional na última década. Kuduro – Fogo no Museke é o retrato social e cultural de uma geração jovem que quer acima de tudo ser a voz de uma nova Angola.

Lembrando que o Documenta-Se Cineclube é produzido pela Osmose Filmes, e após a sessão sempre contamos com um debate sobre o universo do cinema e mundo do documentário.

Convidados: Dilo Paulo (dançarino de kuduro, coreógrafo, bailarino e vídeo produtor) e Cebolinha (dançarino de Passinho)
Debatedor residente: Simplicio Neto
Curadoria e mediação: Emílio Domingos
Assistente de produção: Luísa Surerus
Textos: Luísa Surerus
Apoio: Rio Criativo

Nosso encontro será terça-feira, 12 de fevereiro, às 19h15, no Auditório Multimídia (térreo) do Rio Criativo – Rua do Catete, 243.
A 4 minutos de caminhada do metrô Largo do Machado.

Entrada gratuita.

SESSÃO ESPECIAL DO DOCUMENTA-SE CINECLUBE DE 2 ANOS

baronesa

“Baronesa” foi o documentário escolhido para sessão especial do Documenta-se Cineclube que agora em janeiro completa dois anos de vida!

O filme conta a história de Andreia e Leid, que vivem na periferia de Vila Mariquinha, bairro da Zona Norte de Belo Horizonte. Leid espera com os filhos pelo retorno do marido preso. Andreia quer se mudar. Enquanto isso, tentam se desviar dos perigos de uma guerra entre traficantes na região.

Direção: Juliana Antunes
Ano de lançamento: 2017
Duração: 73min
País: Brasil

O Documenta-Se Cineclube é produzido pela Osmose Filmes com apoio do Rio Criativo, voltado para exibição e debate de documentários.

Convidada: Juliana Antunes (diretora de “Baronesa”)
Debatedor residente: Simplício Neto.
Curadoria e mediação: Emílio Domingos.
Assistente de produção: Luísa Surerus e Tufi Sami.
Textos: Luísa Surerus.

Endereço: Auditório do Rio Criativo na Rua do Catete, 243, a cinco minutos de caminhada desde a estação Largo do Machado do metrô.

Entrada gratuita!
Sabia mais clicando aqui.

SESSÃO ESPECIAL DO DOCUMENTA-SE CINECLUBE

O Documenta-se Cineclube é produzido pela Osmose Filmes, voltado para exibição e debate de documentários. Nossa sessão no mês de dezembro será em parceira com a Semana de Cinema 2018, e vamos exibir “Espera” de Cao Guimarães.

ESPERA_02

“Espera” é um filme que tem como tema a espera, registrando-a em suas mais variadas manifestações. A espera em uma fila, as esperas místicas, a espera de um ator para entrar em cena, a angustiante espera pelo sono, a espera pelos efeitos hormonais em uma adequação de identidade de gênero. O tempo da espera se confunde com o tempo da própria vida, em um mundo em que estamos desaprendendo a esperar.

Data: 11/12/2018 (terça-feira)
Debatedor residente: Simplicio Neto.
Curadoria: Emílio Domingos.
Convidada: Rita Piffer
Assistente de produção: Luísa Surerus e Tufi Sami.
Textos: Luísa Surerus.
Apoio: Rio Criativo
Local: Rio Criativo – Rua do Catete, 243, a cinco minutos de caminhada desde a estação Largo do Machado do metrô.

Entrada gratuita!

Saiba mais aqui.